Inovador, Genérico, Similar e Manipulado.

Qual a diferença entre medicamentos Inovadores, Genéricos, Similares e Manipulados?

Uma dúvida bastante freqüente é sobre a diferença entre medicamentos de referência, genérico e similar. De maneira técnica e direta podemos diferenciá-los assim:

Medicamento de marca ou referência:

É o produto inovador, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente por estudos e validados por ocasião do seu registro. Geralmente é o primeiro remédio que surgiu para tratar ou curar uma determinada doença e sua marca é bem conhecida. Ex: Aspirina (referência para o ácido acetilsalicílico).ANVISA.

Medicamento genérico:

Medicamento similar a um produto de referência ou inovador, que se pretende ser com este intercambiável, geralmente produzido após a expiração ou renúncia da proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade, comprovada a sua eficácia, segurança e qualidade, e designado pela DCB ou, na sua ausência, pela DCI;(Inciso incluído pelo Decreto nº 3.961, de 10.10.2001). ANVISA.

Sendo este intercambiável, possui equivalente terapêutico de um medicamento de referência, comprovado, essencialmente, os mesmos efeitos de eficácia e segurança; (Inciso incluído pelo Decreto nº 3.961, de 10.10.2001). ANVISA

Assim, não havendo restrição por parte do médico, o medicamento genérico pode substituir o de referência (inovador). Lembrando que as caixas destes medicamentos possuem a letra “G” indicando “GENÉRICO”.

Medicamento similar:

Aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, e que é equivalente ao medicamento registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária, podendo diferir somente em características relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipientes e veículos, devendo sempre ser identificado por nome comercial ou marca;(Inciso incluído pelo Decreto nº 3.961, de 10.10.2001). ANVISA.

Este, portanto, não pode substituir o medicamento de referência (inovador) prescrito pelo médico.

Medicamento manipulado:

O medicamento é personalizado, desenvolvido exclusivamente para atender a quantidade e a dosagem ideal para um determinado tratamento, ou seja, sua exata necessidade. A farmácia compra o princípio ativo e produz o medicamento na quantidade necessária, assim como prescrito na receita médica. O medicamento manipulado também passa pela fiscalização da Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Bem, o importante sempre é seguir corretamente o pedido médico e a orientação farmacêutica. Esta “ponte” entre o profissional prescritor (médico, dentista) e a assistência farmacêutica (farmacêutico) é fundamental para a eficiência do tratamento medicamentoso e assim, reduzir os riscos de automedicação e/ou ingestão incorreta do medicamento.

M:. M:.  Matheus de Ávila Cosso

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: